Receitas, dicas culinárias, restaurantes e viagens. Aprecie sem moderação!

Alemanha, Viagem

Templo de Walhalla, em Regensburg na Baviera – Alemanha

Templo de Walhalla, uma descoberta inusitada em passagem pela Região da Baviera na Alemanha.

A grande alegria de quem gosta de viajar de carro é a possibilidade de parar para ver algo que não estava planejado, no momento que tiver vontade. E foi assim que por acaso conhecemos o Templo de Walhalla em Regensburg, região da Baviera na Alemanha. Nós descobrimos este lugar no caminho para Viena, e juro, nunca tinha ouvido falar do mesmo.

No caminho da Áustria, já seguindo o Rio Danúbio há diversos kms (na Alemanha, ele chama-se Donau), vi algumas placas indicando Walhalla. Na mesma hora pesquisei para ver o que era exatamente e sem dúvidas hoje afirmo que se você visitar a Baviera, deve reservar um tempinho da viagem para conhecer esse templo. Confira abaixo um pouco da história do lugar, além de informações práticas.

— — —

História do Templo de Walhalla na Alemanha

O Templo de Walhalla foi erguido no início do século 19, a pedido do Rei Ludwig I. Está localizado nas proximidades de Regensburg, e tem uma vista privilegiada do Rio Danúbio. Representa um dos mais importantes monumentos nacionais alemães: os heróis da pátria.

Depois de 1807, na sequência do que foi visto como uma derrota humilhante pelos exércitos napoleônicos, o então príncipe Ludwig da Baviera decidiu que, quando se tornasse rei, construiria um memorial para os homens e mulheres de mérito e de destaque, como inspiração e ponto de referência para a nação.

Sob a influência do historiador Johannes von Müller, que também fez a seleção inicial das personalidades a serem honradas, o panteão alemão foi chamado de Walhalla, em referência ao paraíso dos guerreiros da mitologia germânica (e nórdica em geral). Ao longo das paredes do interior do templo estão expostos bustos e as placas em memória dos escolhidos por Ludwig I e seus assessores – uma seleção de governantes, generais, cientistas e artistas considerados exemplares no século XIX.

A presença de figuras como Martin von Wagner retrata o ideal dos germânicos – dos primeiros migrantes para a cristianização no início da Idade Média. Desde 1962, novos bustos foram adicionados aos 96 originais em intervalos de cinco a sete anos. A seleção é feita pelo Conselho de Ministros da Baviera, assessorado pela Academia de Ciências da região. Desde 2016, Walhalla é administrado pelo Departamento do Palácio da Baviera.

— — —

Hitler e o Templo de Walhalla

Quando adolescente, Adolf Hitler visitou o Templo de Walhalla e no livro Mein Kampf afirma que o lugar acendeu nele o espírito nacionalista e romântico. Em 1938, como Chanceler da Alemanha e líder do partido Nazista, ele retornou ao templo para a inauguração do busto do compositor Anton Bruckner.

— — —

Arquitetura

Com projeto do arquiteto Franz Leo von Klenze, o memorial foi inspirado no Partenon de Atenas e tem estilo neoclássico. Levou 26 anos para ser construído (entre 1816 e 1842) e a combinação de templo rodeado de colunas e subestrutura maciça, além do design livre na parte interior, impede a arquitetura de ser uma mera cópia do monumento grego. O prédio é revestido por dentro e por fora com mármore caríssimo.

Pode ser visto de longe, a vários km de distância, por conta de suas dimensões gigantescas e suas 52 colunas em estilo dórico. Tem ao todo mais de 65 placas e 130 bustos.

— — —

Infos práticas

O templo fica a 90km de Nuremberg, e o acesso mais fácil é de carro. Tem espaço para estacionamento, mas é preciso caminhar por pelo menos 10min. até a entrada do templo. Banheiros gratuitos.

Endereço: Walhallastraße 48 – 93093 – Donaustauf – Alemanha

Ingresso: 4€ ingresso ao templo e 2,50€ para estacionar.

Site oficial: http://www.schloesser.bayern.de/englisch/palace/objects/walhalla.htm

— — —

Para ver outros posts da série de viagem para Alemanha, acesse aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *