Receitas, dicas culinárias, restaurantes e viagens. Aprecie sem moderação!

Dicas, Viagem

Dúvida: posso levar chimarrão na viagem?

chimarrão em Paris - Blog Receita de Viagem

Nosso chimas, na beira do Rio Sena em Paris.

Há algum tempo atrás um casal de amigos em primeira viagem para Europa lançou uma questão que acho válida compartilhar: devo levar chimarrão? Um filme inteiro passou por minha mente e julguei que realmente, a dúvida deles era legítima, pois lembrei de experiências positivas e negativas com essa função de circular com chimas por aí. Por isso este post, com o qual espero ajudar todos que tem esta mesma dúvida.

Questão de hábito

Há quem ache estranho ou até mesmo nojento o hábito que muitos gaúchos tem de consumir chimarrão. Digo muitos porque nem todo gaúcho gosta de tomar mate e também existe uma boa parcela que até toma, mas de forma tão esporádica que certamente não sente falta quando fica sem, quem dirá quando está viajando. Eu já sou da turma que dificilmente fico sem, consumo no trabalho e em casa.

Em todas as viagens que fizemos no Brasil e algumas das vezes que fomos para outros países, levamos os apetrechos para tomar chimarrão. Algumas situações curiosas aconteceram, mas nada que me indicasse que não deveria fazer isso novamente, por isso acho válido compartilhar alguns relatos.

Algumas experiências

Em São Paulo:

– (yes, nós fomos para lá turistar e foi ótimo! assim que puder, recomendo e posto as dicas aqui) fomos abordados por um mendigo que perguntou se “essa cuia” era de chimarrão ou tererê. Foi engraçado e curioso, como este hábito nos aproxima de várias outras culturas!;

– resolvemos tomar café em uma padaria e o proprietário nos propôs trocar as cuias, já que a dele estava furada e ele dificilmente vem para o Rio Grande do Sul a passeio. Com o chimarrão, nós nos reconhecemos como gaúchos;

– com o chimarrão a tiracolo no Bairro da Liberdade, quase viramos atração turística. Japoneses que mal falavam português queriam saber o que era, jovens de outros lugares pediam para tirar fotos, uma simpática e elegante senhora de Canoas, na Grande Porto Alegre veio perguntar de que cidade éramos. Com o chimarrão, fazemos amigos.

chimarrão na Liberdade, SP - Blog Receita de Viagem

Com a cuia na Liberdade, São Paulo.

chimarrao em SP - Blog Receita de Viagem

Com o chimas no Metrô em SP.

Em Salvador: levamos, mas o calor não nos permitia ter vontade de tomar algo quente, então quase não tomamos. Por vezes, era até meio incômodo ficar carregando, por isso é sempre bom levar em consideração o lugar para onde se vai viajar.

No Uruguai: o país vizinho também consome a bebida tradicional dos gaúchos e dependendo do passeio e da temperatura, nós levávamos junto. Se era um passeio mais curto, uma caminhada na beira do Rio da Prata no final da tarde, valia a pena.

chimarrão em Montevideu - Blog Receita de Viagem

Chimarrão em Montevidéo no Uruguai.

Na Europa: a primeira vez que viajamos para a Europa nós levamos chimarrão porque minha irmã, que na época morava nos EUA, ia nos encontrar lá e sentia falta do chimarrão. Levamos até um pequeno estoque de erva-mate para ela. Mas já em nosso primeiro dia em Paris percebemos que ir ao banheiro após várias cuias era complicado. Depois de muito tempo procurando um aberto, já no final na tarde, decidimos voltar para o hotel.

Desde esse dia passamos a preparar o chimarrão para tomar em horários específicos:

– no começo da manhã, antes de sairmos para nossos passeios;

– no final da tarde, na volta para o hotel e antes do jantar;

– quando pegávamos a estrada para o nosso próximo destino.

cimarrão em Paris - Blog Receita de Viagem

Passeando pelos Tuileries de cuia na mão, fomos reconhecidos por uma paulista!

No Castelo em Nevers, na França - Vale do Loire.

No Castelo em Nevers, na França – Vale do Loire.

Em Curaçao: era agradável ver o pôr do sol tomando chimarrão na varanda de nosso quarto/studio. Mas nem lembro de termos levado a cuia e a térmica para passear fora do hotel.

chimarrão em Curaçao - Blog Receita de Viagem

Chimarrão na varanda em Curaçao, no Caribe.

O que considerar antes de decidir levar chimarrão na viagem

Não é proibido – ao contrário do que muitas pessoas afirmam e pensam, não é proibido levar erva-mate e apetrechos para chimarrão em viagens nacionais ou internacionais. Os problemas ocorrem quando qualquer um dos itens de nosso hábito tradicionalista estiver na bagagem de mão. Se quiser levar e evitar qualquer questionamento, acondicione cuia, erva-mate, térmica e bomba na bagagem despachada.

As restrições em geral são para produtos não industrializados. Nesse caso, opte por pacotes de erva-mate fechados à vácuo. Esqueça os produtos embalados em papel.

Cuidado com as palavras – se não quiser ter problemas com autoridades, nem criar qualquer tipo de situação embaraçosa ao explicar “o que é isso que você está tomando nesse copo diferente”, use sempre palavras em inglês do campo semântico do chá. Não é errado referir-se ao nosso chimarrão como “green tea”, preparado e consumido conforme as tradições do Sul da América. Acredite, esta é a melhor opção.

Pense na logística da viagem – nem toda viagem permite momentos de relax para tomar umas cuias e a programação deve ser levada em consideração antes de tomar uma decisão. Lembre-se também que pode ser difícil conseguir água quente (se levar um aquecedor elétrico, é necessário levar adaptador?!) e banheiros podem não ser tão acessíveis na hora da necessidade. Pontos turísticos atrolhados de turistas tornam-se mais difíceis de acessar com chimarrão na mão.

Se optar pelo SIM, o que devo levar?

Após ponderar, se decidir que vai levar chimarrão na sua viagem de férias, lembre que:

– a cuia pequena é mais prática;

– a erva em pacote fechado à vácuo não será considerada artesanal e evitará complicações com a fiscalização;

– a térmica total de inox é mais prática e deve ir sem nada de líquido dentro;

– a bomba deve ir na bagagem despachada mas em parte de fácil acesso, para o caso de ser questionado sobre a verdadeira natureza de um objeto de metal comprido e pontiagudo em sua mala;

– o aquecedor elétrico pequeno (com resistência na ponta) garante o abastecimento de água quente sempre que tiver vontade de preparar um chimas.

Origem: a versão mais sólida da origem do hábito de tomar chimarrão no Sul da América conta que os índios Guaranis (que viviam no Paraguai, Argentina, Rio Grande do Sul e Uruguai) já o faziam quando em 1500 e poucos os Espanhóis aportaram por aqui. Perceberam rapidamente que a bebida amarga feita com a planta ilex paraguaienses que os índios consumiam ajudavam na cura da ressaca.

IMPORTANTE

As regras da ANAC sobre vôos que partem do Brasil não indicam proibição quanto a levar erva-mate na bagagem despachada. A recomendação é de que consulte as regras do país para onde você está indo, para evitar problemas. Saiba mais aqui, no site oficial do órgão regulador.

24 thoughts on “Dúvida: posso levar chimarrão na viagem?
  • […] quiser saber um pouco sobre a origem do hábito de tomar chimarrão, leia este post aqui do Receita de […]

  • Felipe disse:

    Muito obrigado pela ajuda. Estava com essa dúvida em relação às vôos internacionais.

  • Muriel Souza disse:

    Ótimo tópico parabéns, estou de viagem marcada para o Chile terça que vem 25/08/2015, e estou com uma cruel dúvida, devo levar junto as minhas roupas na mala grande ou posso levar uma mateira e despachar ela junto a minha mala? Obs. primeira viagem de avião.

    Att.: Muriel Souza

    • Olá Muriel!

      Excelente questionamento.
      Nunca levei mateira, sempre saí com cuia e térmica na mão mesmo.
      O que recomendo: coloque ela dentro da mala descpachada e se for rígida, de couro, use seu espaço interno para colocar coisas que, ao passar pelo detector, não gerem dúvida e necessidade de abrirem a sua mala, como sapatos e até mesmo roupas.
      A dica é colocar a erva – pacote fechado à vácuo e a bomba na bagagem despachada, mas em local de fácil acesso. Podem ser as últimas coisas a entrar na mala. A térmica normalmente levamos na bagagem de mão, mas não recomendo, pois sempre pediam para abrir. Por isso coloque na despachada também. Não esqueça do aquecedor!

      Vais visitar o Chile então! Que legal, não tive a oportunidade de visitar ainda. Espero que aproveite bastante, li que tem feito bastante frio por lá e chimarrão é uma excelente pedida.

      Abração e boa viagem!

  • Cristiane Lell disse:

    Ai quem bom saber, estava em dúvida sobre isso, pois vou fazer minha primeira viagem internacional e para o USA, que pelo que sei são muito rigorosos… otima dica do green tea, já tinha pensado mas não tinha certeza de usar.

    • Olá Cristiane!

      Minha irmã morou lá por 4 anos e sempre levamos dessa forma: erva-mate em pacote à vácuo e em bagagem despachada.
      Já pensou, dizer que está levando “bomba” e “erva”? Para nós é engraçado, mas para eles, motivo para mandar de volta, hehehe.

      Beijos e boa viagem!

  • Sthefany Falco disse:

    Ótimas dicas. Era realmente o que eu estava procurando. Sou do Mato Grosso do Sul e, no meu caso, não vivo sem tereré. Vou passar um ano morando na Inglaterra . Ainda tinha dúvidas se eu poderia ou não levar a erva na bagagem despachada. Obg!!

  • Thompson Cardoso disse:

    Brigadão pelas dicas valiosíssimas pra quem também é do time do “chimarrão o dia inteiro”!!

  • andre luiz barreiros disse:

    No inesquecível por do sol do rio negro , na orla da praia da ponta negra em Manaus vi uma família em um banco do calçadão tomando chimarrão , que imediatamente a identifiquei como gaúchos na Amazônia, percebi que algumas pessoas paravam e falavam mesmo sem ser conhecidos e logo uns dois casais com cuias e bombas se aproximaram e sentaram juntos e certamente não estavam com eles , achei super maneiro a harmonia e a identificação de um povo por um ato em comum , que apesar de estarem no mesmo pais , estavam a milhares de quilômetros de casa , fiquei sensibilizado com aquela cena mas acabou que nem me aproximei , fiquei pensando como identificaria conterrâneos meus , cariocas , naquela multidão no encantador fim de tarde amazônico , mas desisti e continuei curtindo meu genuíno açai com tapioca.

  • Bruna Rodrigues disse:

    Olá vou viajar quinta para Santiago pela segunda vez e queria levar um copo térmico que compre no formato de uma lente, sem nenhum líquido dentro, mas estou com medo que possa ter problema, o que você acha? Obrigada

  • luci nunes mayer disse:

    Ola, estou indo para Califórnia, e estou em duvida na quantidade que posso levar de erva de chimarrao.

    • Olá Luci!

      Na bagagem despachada, você pode levar quanto puder, desde que sejam pacotes fechados à vácuo.
      Lembre sempre que: quando questionada, diga que é chá; os pacotes são pesados e volumosos, ocupam um espaço que pode ser importante para outras coisas; depende também quanto tempo você vai ficar ou se vai levar para alguém. Eu nunca levei mais do que 6 kg – e isso foi quando mudei para a Bélgica. É interessante descobrir se tem onde comprar no lugar onde você está.

      Abs e boa viagem!

  • […] de mala e cuia para Bruxelas, trouxemos na bagagem despachada (leia mais sobre esse assunto neste link) seis kg de erva-mate, para tomar chimarrão e matar a saudade de casa. Como não sabíamos se […]

  • Eliane disse:

    Será que é possível levar na bagagem de mão?

  • Ainda fiquei com uma dúvida! O pacote de erva pode ficar dentro da mateira? Pode estar aberto? Ou só posso transportar um pacote de erva mate fechado?

    • Olá Gabriela!
      O pacote de erva-mate deve ir, preferencialmente, na bagagem despachada. Se vai aberto, dentro da mateira não importa como. Mas recomendo a bagagem despachada para não ter que dar explicações e perder tempo. Indico também que esteja fechado pelo fato de que pode vazar e sujar o conteúdo da mala. Pacotes de erva-mate embalados à vácuo são os melhores.

      Abs,

      Janina

  • Ola, ja estivemos na Italia, Portugal, Espanha, Alemanha, Austria, Hungria, e sempre levamos nosso chimarrão porem foram sempre foram na bagagem de despacho, mas em voos nacionais não sabemos se podemos levar na bagagem de mão que hoje esta modificada em relação a anos anteriores, pois aqui ja fizemos isso de despachar por fora como nominalmente falam quero saber se pode levar na bagagem de mão, cuia erva e bomba

  • Boa noite, uma pergunta: posso levar cuia, bomba e erva mate na bagagem de mão ou tem que ser necessariamente despachada? Obrigado

    • Olá Paulo, tudo bem?

      Pode levar sim, como falei acima, mas não recomendo e não vejo necessidade, a menos que viaje apenas com bagagem de mão.
      Mas é inconveniente, pois todas as vezes que levei uma garrafa térmica na mochila, por exemplo, precisei retirar da bagagem de mão e mostrar que não tinha nada dentro. Isso atrasa a checagem da segurança para você e os demais que estão na fila depois de você. Sem contar que, dependendo da situação, podem decidir revirar toda sua bagagem de mão por conta de um objeto suspeito.

      Espero ter ajudado!

      Janina

  • micaela kuhn disse:

    Olá. Adorei as dicas.
    Estou indo à China. Será que é tranquilo levar os ‘apetrechos’ na bagagem despachada?
    Já que são rigorosos.

    • Olá Micaela!

      Infelizmente não sei como funciona na China. Particularmente, só levo chimarrão quando a viagem é maior do que duas semanas. E sempre despacho, para evitar incomodações e até mesmo porque você não vai ter como tomar chimarrão nesse meio tempo.

      Abs,

      Janina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.