Receitas, dicas culinárias, restaurantes e viagens. Aprecie sem moderação!

França, Viagem

Visitando a região de Champagne na França

Champagne faz parte da região metropolitana de Grand Est na França e tem Reims como a capital da bebida mundialmente conhecida.

Primeiro post com dicas da França, desta vez falando da região de Champagne, parte da região Grand Est. O lugar que é conhecido pelo vinho mais famoso do mundo, também é recomendado por sua sua beleza e história. Visitar Reims (a capital) e as outras cidades menores vai muito além de sair de uma vinícola para outra apenas para degustar taças da famosa bebida.

E justamente por isso, achei por bem dividir os posts da seguinte forma:

  • Este com introdução e informações gerais sobre a região;
  • Outro sobre as vinícolas e a bebida em si;
  • Outro sobre as atrações turísticas e históricas da região;
  • Onde comer e beber na região do Champagne.

Champagne na França: como chegar, onde se hospedar, quando ir, como se planejar…

A região de Champagne está dividida em duas partes: a parte norte e a parte sul. A região norte cobre a área entre Reims, Épernay e Châlons-sur-Champagne, também chamada de Triângulo Dourado. A região sul cobre a área entre Bar-sur-Aube, Bar-sur-Seine e Mussy-sur-Seine, parte conhecida também como Côte des Bar

Como chegar

A região de Champagne fica a cerca de uma hora de trem de Paris. A maneira mais fácil de chegar saindo da capital francesa é pegar o trem TGV de alta velocidade. Ele leva até as duas maiores cidades da região: Reims e Épernay. Também é possível fazer o trajeto de carro (aproximadamente 145 km entre Paris e Reims), mas recomendo controlar a quantidade de álcool consumido.

Quando ir

Há quem afirme que o verão europeu é a melhor época do ano, para ver os vinhedos fartos e prontos para a colheita. Você pode inclusive participar da colheita, basta consultar sobre esta e outras atividades no site da sua maison de champanhe favorita. Eu só estive lá nos meses de abril, novembro e dezembro. Apreciei muito o visual em todas as ocasiões, o que incomoda mesmo é o clima: frio e muita chuva, em todas as ocasiões.

Mas em compensação, tinha menos turistas! E algumas casas fecham durante o mês de dezembro (ou mais), então novamente, consulte cada uma das coisas que deseja fazer e visitar. Não vou listar aqui o que abre e fecha, pois são muitas vinícolas, e com a pandemia, tudo pode estar alterado. No post sobre as vinícolas, falarei das que visitei. Então deixo essa para sua preferência pessoal.

Como se planejar

Uma viagem de um dia (day trip) de Paris até a região de Champagne é o que recomendo para uma primeira visita ao local. Você pode facilmente ir de carro ou trem e visitar as casas mais famosas, ou focar nas que tem mais interesse. Normalmente quem visita a região gosta do vinho mais famoso do mundo e já tem uma listinha das vinícolas que quer visitar.

Se a sua opção for por pernoitar por lá, diria para escolher entre as cidades de Reims (com muitas opções de o que ver, fazer, onde ficar, onde comer além das vinícolas) e Épernay (menor, mas onde está localizada a Avenue de Chamapagne, com algumas das casas mais famosas). Uma dica bem IMPORTANTE: pesquise com detalhes tudo o que quer fazer e que não quer perder. Consulte os websites de atrações turísticas, restaurantes, vinícolas e fique atento a horários, se é necessário fazer reserva…Para garantir que consiga fazer tudo que estiver nos seus planos.

A maioria das pessoas vai direto para Reims ou Épernay, na parte norte da região de Champagne, onde ficam todas as casas mais conhecidas (Veuve Cliquot, Mumm, Möet Chandon, entre outras). Se você quiser se impressionar com castelos e tours de degustação multilíngues, então é ótimo. Mas se você preferir as aldeias rurais mais discretas e pitorescas que também fazem vinhos incríveis, siga para o sul. Ainda não estive nessa parte, mas listarei as principais atrações turísticas da região.

Outra estratégia interessante para “guiar” sua visita a esta região: além de não contar com a espontaneidade de outras regiões vinícolas conhecidas mundo afora (onde você pode simplesmente chegar e degustar) e precisar de reserva ou planejamento, lembre que praticamente nenhuma casa serve comida. E quase todas fecham no horário do almoço. Então prepare-se com um café da manhã reforçado caso queira beber logo cedo, e programe-se onde fazer suas refeições.

Nem todo restaurante vai exigir reservas, mas talvez você não encontre mesas disponíveis até mesmo nos lugares mais simples. Este é o tipo de lugar onde planejamento vai fazer toda a diferença!

A logística na região pode ser frustrante. O transporte público é irregular e os preços dos táxis são altíssimos: peça uma coleta em um vinhedo além dos limites da cidade e você pagará não apenas pela viagem, mas também pelo tempo que levar para o táxi chegar. Se você quiser explorar as casas de champanhe menos acessíveis, é melhor reservar um passeio que inclua transporte. Talvez por isso a grande maioria dos visitantes da região façam uso de carros alugados ou particulares.

(continua no próximo post)

— — —

Para conferir todas as dicas sobre Champagne e da França, acesse este link!

One thought on “Visitando a região de Champagne na França

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.