Receitas, dicas culinárias, restaurantes e viagens. Aprecie sem moderação!

Bélgica, Viagem

O que ver em Bruxelas: Palácio de Justiça

Uma das atividades gratuitas para fazer em Bruxelas é visitar a construção monumental, em eterno restauro.

Certamente uma das atrações turísticas mais peculiares para se ver em Bruxelas é o Palácio de Justiça. O “elefante branco” da capital da Bélgica, localizado no topo da Praça Poelaert pode ser visto há quilômetros, mesmo com sua fachada revestida de andaimes desde 1987 (mais de 30 anos!). Tanto tempo que os próprios andaimes estão precisando de restauro!

O edifício gigantesco foi construído para impressionar por dentro e por fora. Mais mais do que um monumento importante a ser visitado em Bruxelas, o local é portador de uma história não muito agradável e talvez por isso, sempre foi adorado por muito e detestado por outros tantos.

Lenda desta região em Bruxelas

Palácio da Justiça foi erguido no local anteriormente chamado de Mont des Potences, onde os condenados à morte eram executados na Idade Média. Diz a lenda que no século 16, Andreas Vesalius – médico belga considerado o pai da anatomia moderna – ia roubar cadáveres durante a noite para estudar o corpo humano.

História da construção do Palácio de Justiça

Em março de 1860, durante o reinado de Leopoldo I, o governo belga organizou uma competição internacional para a construção de um novo tribunal em Bruxelas. O júri não conseguiu gostou de nenhum dos projetos apresentados e o trabalho foi confiado ao arquitecto da cidade de Bruxelas, que também fazia parte do juri. O projeto de Joseph Poelaert para o local era faraônico, e tinha com o proposta sintetizar a história da humanidade na arquitetura deste edifício.

A construção, que começou em outubro de 1866, levou 17 anos para terminar e envolveu o sacrifício de parte do Marolles, bairro popular na parte baixa da cidade, com expropriações a preços muito baixos, expulsões e demolições. Os moradores do Marolles foram realocados em casas onde hoje é o valorizado bairro de Uccle e as casas de nobres belgas que ficavam no exato local onde o Palais de Justice foi construído, também foram destruídas (estes sim receberam indenizações bem mais generosas).

Ao todo, 300 casas foram destruídas. A inauguração aconteceu no dia 15 de outubro de 1883, já sob o reinado de Leopoldo II e sem que o arquiteto criador deste colosso tenha conseguido ver seu trabalho concluído. Exausto e enlouquecido, ele morreu quatro anos antes do fim da construção.

Para a realização do projeto, Poelaert desfrutou de uma grande liberdade, tanto artística quanto financeira, o que provocou um grande descontentamento popular, político e cultural. Expressões como “Rotten” e “Skieven architek” (arquiteto podre ou torto) nasceram aí.

O edifício conta com enormes estátuas interiores de Demóstenes e Licurgo, elaboradas pelo escultor Pierre Armand Cattier, e figuras dos juristas romanos Cícero e Ulpian, feitas pelo escultor Antoine-Félix Bouré. O pórtico central, com 39 metros de altura, tem no topo um busto da antiga titânica grega Themis, personificação da lei e ordem divinas, e criada por Joseph Ducaju

Além disso, o impressionante salão salle des pas perdus (literalmente significa “sala dos degraus perdidos”) tem cerca de 3.600 m quadrados, incluindo a galeria do primeiro andar, com 90 m de comprimento e 40 m de largura. Uma rosa dos ventos com dezesseis pontas indica o centro da sala.

Victor Horta, ícone da arquitetura art nouveau na Bélgica afirmou que o prédio representa “Uma massa esmagadora, coroada por um sino de queijo”. Freud elogiou a construção, e sobre ele escreveu: “No topo de uma colina alta, ergue-se um edifício gigantesco, com colunas tão belas que o conjunto evoca um palácio real assírio ou uma ilustração de Gustave Doré”. Victor Hugo, o escritor francês o batizou de “o grande tinteiro”.

No final da Segunda Guerra Mundial , quando os nazistas foram forçados a deixar a Bélgica, eles queimaram o prédio e a cúpula desabou. A cúpula atual é mais alta e curva que a original.

Arquitetura e infos numéricas

  • Este é o maior Tribunal de Justiça do mundo;
  • Construído em estilo estilo greco-romano clássico, é maior que a Basílica de São Pedro em Roma;
  • Tem ao todo 40 mil metros quadrados de área construída;
  • Sua cúpula alcança 100 m de altura;
  • Possui 27 salas de audiências com arquitetura impressionante;
  • O custo total da construção, do terreno e do mobiliário foi de cerca de 45 milhões de francos belgas.

Se o exterior é surpreendente, o interior do Palácio da Justiça faz a visita ser obrigatória. Seu hall de entrada possui um pé direito com mais de 100 metros de altura, o que é absolutamente impressionante.

Para visitar o Palácio de Justiça em Bruxelas

Não se intimide com os andaimes e adentre as escadas para conferir a edificação faraônica. O prédio, apesar do eterno estado de restauro, é usado normalmente como um tribunal de justiça. Infelizmente a parte que pode ser visitada a qualquer horário não é bem cuidada e você vai encontrar um pouco de sujeira, pichações e até mesmo, mendigos morando no local (mas poucos).

Para visitar os tribunais, a parte interna que ainda é usada como local de trabalho pelos funcionários e juízes, é possível fazer um tour guiado, agendado com antecedência, que infelizmente ainda não tive a oportunidade de realizar. Maiores informações na recepção do local.

Endereço: Place Poelaert, 1 – 1000 – Bruxelas

Horário de funcionamento: segunda a sexta das 8h às 17h. 
Fechado nos finais de semana e feriados (mas parte “externa” com as estátuas pode ser visitada a qualquer momento, este é o horário de funcionamento oficial do tribunal para quem trabalha).

Entrada gratuita.

Acesso: metro linhas 2 e 6, tram 92 e 94, parada Place Poelaert.

Site oficial: Tribunal de Justiça de Bruxelas

— — —

Para conferir mais dicas de atividades turísticas em Bruxelas, acesse aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.