Receitas, dicas culinárias, restaurantes e viagens. Aprecie sem moderação!

Bélgica, Viagem

Diksmuide e a WWI na Bélgica

Conheça mais alguns importantes pontos históricos da Primeira Guerra Mundial que podem ser visitados na Bélgica.

Yser Tower em Diksmuide.

Seguimos com a série de posts sobre os pontos turísticos que podem ser visitados na Bélgica, elaborados especialmente para quem se interessa por história da Primeira Guerra Mundial. Hoje é dia de apresentar as atrações concentradas na cidade de Diksmuide e arredores – é nesta região que ocorreu a batalha de Passchendaele, a planície do rio Yser.

Um pouco sobre Diksmuide

Diksmuide.

Cidade da região de Flandres Ocidental, Diksmuide teve origem no período medieval, e leva este nome por estar localizada na foz do Rio Yser. No século 10 uma igreja e um mercado já estavam estabelecidos no local. A carta de permissão para o povoado virar uma cidade foi concedida em 1270, mesmo período onde começou a ser construída a muralha de Diksmuide.

No início da WWI, as tropas alemãs atravessaram a fronteira da Bélgica em Arlon, e seguiram para o mar do Norte para conquistar os portos franceses de Calais e Dunkirk. A Batalha do rio Yser começou em outubro de 1914, e o exército belga abriu as comportas da barragem do rio para inundar a região e conter o exército alemão.

O rio acabou se tornando a principal linha de frente do confronto na região. A cidade foi atacada pela primeira vez em 16 de outubro de 1914 e defendida por tropas belgas e francesas, marcando o início da Grande Guerra. Quando a guerra terminou, Diksmuide estava reduzida a escombros. Mas ainda na década de 20, a cidade foi completamente reconstruída.

O que visitar em Diksmuide e arredores

— — —

Dodengang

Entrada do Dodengang.

Trench of Death (Dodengang), é a única trincheira preservada da Primeira Guerra Mundial. A área de 300m, onde morreram muitos combatentes de guerra, foi construída no início conflito na foz do Rio Yser. Soldados belgas lutaram na trincheira até a ofensiva de 28 de setembro de 1918.

Após a guerra, o Dodengang se tornou um dos primeiros memoriais de guerra na Bélgica e foi aberto para visitação. O museu que atende os visitantes é uma construção recente.

Neste link (em inglês), você pode verificar a lista completa de trincheiras (local original, mas quase todas reconstruídas) da Primeira Guerra Mundial na Bélgica.

Única trincheira preservada da WWI na Bélgica.

Informações práticas

Endereço: IJzerdijk 65 – Diksmuide 8600 – België

Sites: http://www.klm-mra.be/D7t/en/menulistchildren/1527 (em inglês) e http://toerisme.diksmuide.be/product/600/dodengang (em holandês)

Ingresso: € 4 para qualquer pessoa, crianças até 8 anos não pagam.

— — —

Passchendaele Memorial Park

Passchendaele Memorial Park e Museu.

Fundado em 2004, o Memorial Museum Passchendaele conta com coleção incrível de fotos e artigos da Primeira Guerra Mundial, além da reprodução de uma trincheira com todos os tipos e elementos de trincheiras da WWI. O Memorial foi construído no local onde ocorreu um dos principais confrontos da Grande Guerra: a Batalha de Passchendaele, também conhecida como Terceira Batalha de Ypres.

Nesta região, existem muitos outros vestígios do confronto mundial. São inúmeros cemitérios, monumentos, bunkers e memoriais que podem ser visitados a partir desse ponto.

Reprodução de trincheiras da WWI no Passchendaele Memorial Park.

Informações práticas

Endereço: Berten Pilstraat 5A – B-8980 Zonnebeke – België

Site: http://www.passchendaele.be/

Horário de abertura: de segunda a domingo, das 9h às 18h (última admissão às 16h30).

Ingresso: € 8,50 (crianças até 7 anos não pagam).

— — —

Yser Tower

Yser Tower.

O Museu, com altura equivalente a 22 andares, conta a história do confronto entre belgas e alemães durante a Primeira Guerra Mundial, além de servir como um espaço para reflexão sobre a paz. É um monumento pela paz, construído logo após a WWI.

No mirante da Yser Tower é possível ver toda região que foi assolada pelos confrontos da Grande Guerra. E uma única vista, você vê Flanders FieldsNewportPasschendaele, Ypres, Poperinge e Ploegsteert.

Informações práticas

Endereço: IJzerdijk 49 – 8600 Diksmuide – België

Site: http://www.museumaandeijzer.be/ijzertoren/en

Horário de abertura: das 10h as 17h.

Ingresso: € 8 (grátis para crianças menores de 7 anos).

— — —-

Tyne Cot Cemetery

Cemitério Tyne Cot.

Uma das visitas mais emocionantes que que pode fazer em lugares tanto nessa região quanto na Normandia, são os cemitérios de guerra. O Tyne Cot Cemetery é um lugar tocante – nele é possível ter uma dimensão da atrocidade que foi a WWI – pois nele estão enterrados mais de 12 mil soldados mortos no conflito de 1914 a 1918.

A sensação é esmagadora, o silêncio e o respeito prevalecem. Isso porque é muito triste perceber quantas vidas foram encerradas inutilmente com a guerra. A grande maioria, soldados da Commonwealth.

Informações práticas

Endereço: Tynecotestraat – 8980 Zonnebeke – België

— — —

Belgian Military Cemetery em Houthulst

Cemitério Militar belga da WWI.

Este é o cemitério belga mais conhecido do país, pois é nele que estão enterrados 1.723 combatentes da Bélgica na Primeira Guerra Mundial, além de 81 soldados italianos. As tumbas dos combatentes da Itália estão no final do cemitério, dentro da floresta que adentra o memorial.

Informações práticas

Endereço: Poelkapellestraat 44 – 8650 Houthulst – België

— — —

Hill 60

O Hill 60 é um dos mais conhecidos campos de batalha da Primeira Guerra Mundial na área de Zillebeke, ao sul de Ypres, na Bélgica. Antes da WWI, o morro era conhecido localmente como Côte des Amants. O local conta com duas áreas de terra elevada, separadas pela linha de trem. A área norte era conhecida pelos soldados como Hill 60, enquanto a parte sul era conhecida como The Caterpillar, onde fica a cratera listada abaixo.

Escombros de um bunker da época e memoriais em honra aos soldados também podem ser visitados no local. A entrada é livre e o acesso permanentemente aberto.

Escombros do bunker que foi construído na Hill 60, na WWI.

Informações práticas

Endereço: Zwarteleenstraat, Zillebeke – België

— — —

Crateras da Primeira Guerra Mundial

A topografia dos Flanders Fields mudou muito com a WWI – e até hoje é possível encontrar crateras e lagos formados por explosões de minas terrestres. Abaixo, uma imagem aérea para de ter uma ideia de como ficou a região após a guerra. A batalha de minas do dia 7 de junho de 1917 formou ao todo 19 crateras na região de St. Eloi, próximo a Ypres, sendo que 16 delas ainda são visíveis.

Algumas dessas crateras estão abertas para visitação e as principais são:

  • Cratera St. Eloi

Maior de todas as crateras, é resultado da mina mais profunda, com 50 toneladas de amoníaco detonados durante a guerra. A cratera é ladeada por um bunker britânico intacto de 1917 e cheia de água.

Bunker da WWI ao lado da cratera St. Eloi.

Código para acessar o local histórico (pois não existe funcionário/recepção para controlar a entrada) deve ser retirado no Tourist Office de Ieper (Ypres), que fica junto ao Flanders Fields Museum (Grote Markt, 34 – 8900 – Ieper – België).

A cratera St. Eloi, repleta de água e plantas aquáticas.

Endereço: Rijselseweg, 214 – 8902 – Voormezele – België

  • Lone Tree Crate

Também conhecida como The Spanbroekmolen Mine Crater Pool of Peace, tem 26 metros de profundidade e também está cheia de água.

Cratera Pool of Peace tem deck para acesso fácil a água.

Endereço: Kruisstraat – 8953 – Wijtschate – België

  • Caterpillar Crater

Próxima a Hill 60, mais informações acima.

Cratera Caterpillar muda de aspecto, de acordo com a estação do ano.

Endereço: Zwarteleenstraat – 8902 – Ieper – België

— — —

Outros posts da série sobre a Bélgica e a Primeira Guerra Mundial:

Post introdutório

Ypres e Flanders Fields

2 thoughts on “Diksmuide e a WWI na Bélgica

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.